• Sofia Pereira

Slow Parenting: 3 Pressupostos para uma parentalidade Sem pressa

Atualizado: Nov 19



Vou convidá-lo(a) a fechar os olhos e a imaginar-se uma mãe ou um pai Sem pressa. O que vê, o que ouve e, principalmente, o que sente?



O termo Slow Parenting foi usado, pela primeira vez, há alguns anos, por Carl Honoré, a voz internacional do Movimento Slow, no seu primeiro livro “In Praise of Slow”. Carl define o Slow Parenting como a família em equilíbrio. Como o respeito pelos ritmos individuais de cada elemento da família. É dar o tempo e o espaço suficientes aos filhos para que estes explorem o mundo por eles próprios.


E porque na parentalidade falamos de relações entre pais e filhos, este conceito pressupõe, também, que os pais assegurarem que existe tempo suficiente para descansarem, refletirem, estarem sós e/ou simplesmente estarem juntos, em família.


Slow Parenting ou pais Sem pressa, como prefiro chamar a esta filosofia, significa permitir que os filhos descubram quem eles são e não o que os pais querem que eles sejam. Significa deixar as coisas acontecerem, em vez de as forçar.


Ser pais Sem pressa é dar às crianças muito amor e atenção, sem condições. É estar consciente que, tal como os filhos, os pais e as mães, têm emoções, opiniões, necessidades e desejos.







O primeiro passo para uma parentalidade Sem pressa

O que desejaria mudar ou viver de outra forma na relação com os seus filhos?

A maioria dos pais e das mães das sociedades mais desenvolvidas respondem: ter mais tempo.

Como podemos agir para alterar o atual paradigma de tempo e a forma como a sua má utilização pode dominar grande parte da nossa vida?

Vivemos num mundo de ritmo cada vez mais acelerado, um mundo ditado pela hipervelocidade.

No trabalho, a pressão por resultado é cada vez maior.

Na vida pessoal, os projetos pessoais são substituídos por necessidade mais urgentes - e, assim, é natural que as pessoas se deem conta de que não cuidam de si mesmas.

Na esfera familiar, a família acaba, por vezes, por ficar em segundo plano, restrita aos fins de dia, sábados e domingos. Os pais e mães têm menos tempo disponível para os seus filhos, na sequência do nº de horas que passam a trabalhar e também pelo volume de atividades extracurriculares que as crianças acumulam ao fim de dia e fins de semana.


Muitas vezes damos por nós a compararmo-nos com outros pais e mães e a questionarmo-nos como estes conseguem ter tempo para tudo e nós não.

Pois bem, ninguém tem mais ou menos tempo do que nós. Nós temos exatamente os mesmos segundos, os mesmos minutos e as mesmas horas por dia, que todas as outras pessoas. A diferença está na forma como nós usamos o nosso tempo.


Assim, o primeiro passo para ser um pai ou uma mãe Sem pressa é o autoconhecimento. Falo de conhecer qual o uso que fazemos do nosso tempo, de conhecer quais os nossos valores e intenções enquanto pais e mães. Estes, para mim, constituem os pressupostos de uma parentalidade Sem pressa.







3 Pressupostos para nos tornarmos mães e pais Sem pressa


1. Tornarmo-nos conscientes de quais os papéis que assumimos na nossa vida

Não somos apenas pais e mães. Assumimos outros papéis na nossa vida: esposas/maridos, companheiros/as, filhos/as, irmãos, irmãs, profissionais, voluntários, …..


Coloco três desafios:

Em primeiro lugar, observar, conhecer e registar qual o tempo que cada um de nós dedica a cada uma das suas esferas de vida: pessoal, profissional e familiar.


De seguida, questionarmo-nos sobre o nosso grau de satisfação com essa dedicação de tempo, posicionando-nos, assim, ao nível do onde estamos. Não está satisfeito/a com esse resultado?


Por último, se queremos alterar o grau de satisfação com o tempo que dedicamos às nossas esferas de vida, então impõe-se conhecer para onde queremos ir. Refletir sobre o grau de satisfação quer atingir em cada uma das suas esferas de vida e traçar um plano de ação que lhe permita chegar lá.


Uma nota final: esta visão holística do tempo que dedicamos/queremos dedicar a cada uma das esferas da nossa vida é fundamental para a conquista do nosso equilíbrio individual e consequente disponibilidade para nos tornarmos mães e pais Sem pressa.








2. Tornarmo-nos conscientes do momento presente


Muitos de nós vivemos constantemente entre o passado e o futuro, deixando passar o que estamos a viver no momento presente. Temos dificuldades em ficar offline. Temos dificuldade em não fazer nada. Temos sempre à mão os nossos telemóveis ou “canivetes suíços”, como lhes chama o neurocientista Daniel Levitin. Estes aparelhos muito poderosos, que usamos a qualquer hora, para fazer tudo o que necessitamos e, ainda, usarmos nos momentos de inatividade. Fazemos várias coisas ao mesmo tempo, julgando que estamos a ser muito produtivos, quando o resultado é completamente oposto.


Estamos pouco ou nada conscientes do momento presente.


Ser mãe ou pais Sem pressa é estar presente para tudo o que acontece a cada momento, não só na relação com os filhos, mas também nas tarefas rotineiras do seu dia a dia.


É integrar o Mindfulness na sua vida e fazer uma escolha consciente de quais as atitudes do Mindfulness que são importantes para si em cada momento: não julgamento, paciência, mente de principiante, confiança, não esforço, aceitação e deixar ir.






3. Ter as suas intenções bem definidas


Uma intenção é um princípio que nos guia em relação à pessoa que queremos ser e à forma como queremos viver determinada situação.


Colocando aqui o foco na parentalidade Sem pressa é pensar sobre estas questões: o que quero ser enquanto mãe ou pai Sem pressa? Como me quero sentir? O que preciso de fazer para que isso aconteça?


Com as intenções bem definidas saberá o que fazer em qualquer momento e será o primeiro passo para conseguir o que quer. Podemos fazer a analogia entre intenções e um GPS: quando conhecemos as nossas intenções, conseguimos avaliar se estamos ou não no caminho certo para nos tornarmos uma mãe ou pai Sem pressa.






Desafio a que resgate a imagem que criou de si, no início da leitura deste artigo, enquanto mãe ou pai Sem pressa. Escreva o que viu, o que ouviu e principalmente o que sentiu. Afixe essas notas num local onde as possa visualizar diariamente.

Dê o primeiro passo para se tornar uma mãe ou um pai Sem pressa!





Sobre a autora:





Sofia Pereira

Empreendedora e especialista em gestão de tempo, produtividade e work-life-balance


Fundadora da Academy4you – Coaching | Training | Consulting e da Academia pais Sem pressa; Certificação Internacional em Coaching Neurolinguístico; Distinguida com o Selo Slow Coaching, pelo Slow Movement Portugal. É a primeira e única profissional com esta distinção, em Portugal; Consultora work-life balance; Certificação em Inteligência Emocional e Social; Professora certificada de Mindfulness e meditação; Formadora certificada; Experiência em Coordenação de equipas; Experiência como Docente no Ensino Superior; É licenciada em Serviço Social, Pós-graduada em Análise e Intervenção Familiar, pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra.



Dê o primeiro passo para se tornar uma mãe ou um pai Sem pressa!






  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Instagram Preto